Minha casa Minha Vida:cadastro em inicia em Março em Marabá

Residencial-TiradentesAs famílias com o perfil exigido pelo Programa Minha Casa Minha Vida, que tenham interesse em ser contempladas com casas populares, precisam ficar atentas. Está previsto para o próximo dia 10 de março, o início do cadastro para os residenciais Jardim do Éden, com 968 casas e Magalhães, com 3000 moradias. O cadastramento é a etapa de responsabilidade da SEASP – Secretaria de Assistência Social da Prefeitura, que ainda conclui com a Caixa Econômica Federal a ocupação de outros dois condomínios desse programa social.

A secretária de Assistência Social, Bia Cardoso Salame, observa, no entanto, que só iniciará o cadastramento após se certificar de as construtoras responsáveis pelos novos condomínios adaptaram 3% das residências para deficientes, conforme determina a legislação. Isso corresponde a aproximadamente 30 casas no Jardim do Éden, localizado em Morada Nova; e a 90 moradias no Residencial Magalhães, construído no bairro São Félix.

Responsabilidades – As famílias já contempladas e os futuros moradores devem ficar cientes das responsabilidades por cada situação após recebimento do imóvel:

1 – As únicas responsabilidades da SEASP são mobilizar, cadastrar as famílias e entregar os cadastros ao agente financeiro, que pode ser o Banco do Brasil ou Caixa Econômica Federal; no caso de um primeiro contemplado não ocupar o imóvel, dentro do prazo legal, a residência será entregue a outra pessoa do cadastro de reserva;cadastro de reserva;

2 – Capinação, desentupimento de bueiros e coleta de lixo são responsabilidades da Secretaria

3 – Rachaduras em paredes, piso e outros inerentes à construção devem ser comunicados à

4 – Eventuais problemas referentes ao fornecimento de água e luz devem ser notificados à Cosanpa e CELPA. Em alguns casos de falta de água a Secretaria de Obras poderá ser acionada;

Lembra também Bia Cardoso, que casas ainda vazias nos residências Tocantins, localizado em São Félix; e no Tiradentes, situado no Km 10 da BR 222, são de responsabilidade da Caixa Econômica Federal, que está tomando as providências.

Em relação à contrapartida da Prefeitura de Marabá naqueles empreendimentos, Bia Cardoso afirma que está restrita à cessão dos terrenos. É importante observar que, os terrenos dos três primeiros residenciais (Tocantins, Tiradentes e Magalhães) eram áreas alagadiças, que necessitam de boa estrutura de base, caso contrário parte das moradias está sujeita a rachaduras e até mesmo o asfalto das ruas pode sofrer desagaste mais rapidamente.

construtora do empreendimento;

Municipal de Obras

Deixe uma resposta